skip to Main Content

Bebê de 6 meses passou por cirurgia cardíaca e agora luta contra o coronavírus

Bebê De 6 Meses Passou Por Cirurgia Cardíaca E Agora Luta Contra O Coronavírus
Publicidade

 

Ela também se recuperara da bronquiolite, ela contraiu o coronavírus enquanto ela ainda estava internada.

COVID-19 é especialmente perigoso para pessoas com doenças subjacentes, especialmente se elas pertencem ao sistema cardiovascular ou respiratório. Isso é motivo de grande preocupação para muitos pais, que temem passar pelo que esta família do Reino Unido está passando..

Um caso especialmente delicado

Nos últimos dias, uma foto de uma bebê com um respirador e outros equipamentos médicos ao seu redor circulava nas redes sociais, o que movimentou toda a comunidade. Esta é a pequena Erin Bates, que foi recentemente diagnosticada com COVID-19.

Publicidade

Embora muitos pequenos tenham sido afetados pela doença em todo o mundo, o caso de Erin é considerado especial, uma vez que a menina, com apenas 6 meses de idade , nasceu com um problema cardíaco que precisou ser corrigido através de cirurgia e também ele sofria de problemas respiratórios dos quais mal estava se recuperando.
Apesar das previsões que foram feitas para a menina, seus pais, Emma e Wayne Bates, preferem pensar que, se sua filha já havia superado muitas doenças antes, ela também pode vencer a batalha contra o COVID-19.

A opinião dos pais

Dada a situação da filha, ambos os pais testemunharam os graves danos que o novo vírus é capaz de causar. Por esse motivo, eles expressaram preocupação com pessoas que não respeitam a quarentena, causando uma maior disseminação do referido patógeno.

Por meio de uma entrevista, o Sr. Bates indicou o seguinte:

“Me incomoda que as pessoas ainda não levem a doença a sério. Quando descobrimos sobre o coronavírus, começamos a tomar cuidado, muito antes da quarentena, pois nossa filha é suscetível. Agora que estamos em quarentena, as pessoas ainda não respeitam o espaço pessoal, tanto que recentemente vi uma foto tirada na praia, onde havia pessoas alinhadas para comprar sorvete, como se tudo estivesse normal. É preocupante que as pessoas não estejam cientes da gravidade da situação “.

Veja Mais:

Por sua parte, a Sra. Bates fez uma postagem em sua conta do Facebook, declarando o seguinte:

Publicidade

“Meu marido e eu estamos arrasados ​​porque podemos perder nosso bebê, peço a todos que leem para rezar por Erin, não podemos perdê-la por causa desse vírus, ela lutou demais, precisamos dela, ela nos completa. Esperamos que a história da nossa filha alcance todos aqueles que ainda não começaram a levar o vírus a sério. ”
Devido às medidas preventivas atualmente adotadas nos hospitais, apenas a mãe conseguiu ficar com Erin, enquanto o pai teve que voltar para casa, isolando-se devido ao contato com o bebê. Ambos os pais mantêm a comunicação por meio de videochamadas.

Erin, uma pequena guerreira

Bates disse que, quando Erin nasceu, ele e sua esposa estavam realmente felizes, pois havia sido um milagre após 10 anos de tentativas fracassadas e ouvindo em muitas ocasiões que eles não podiam ter filhos.

Erin passou seus primeiros 6 meses de vida traumáticos devido ao grande número de complicações que enfrentou. Ela nasceu com um problema cardíaco, então teve que fazer uma cirurgia cardíaca aberta em dezembro de 2019. Depois disso, em janeiro deste ano, ela foi infectada pelo vírus respiratório sincicial (RSV) , que causou bronquiolite e pneumonia, duas doenças muito sério para um bebê. A menina também sofre de traqueomalácia e bronquiomalácia, por isso foi necessário que ela usasse um respirador.
Felizmente e como se fosse um milagre, a menina está atualmente estável.
Um pai que não perde a esperança

Em resposta à condição de Erin, seu pai afirma o seguinte:

“Erin está viva graças ao atendimento da equipe de médicos e enfermeiros. Especialmente as últimas foram atentas à minha garotinha, a ponto de formarem um vínculo emocional. Todos cuidam da minha esposa e da minha menina, e isso é maravilhoso.
Quando perguntado sobre como sua filhinha havia sido infectada, Wayne respondeu:

“Ela estava no hospital antes de contrair o vírus, acreditamos que, como o distanciamento social não era inicialmente obrigatório, alguém trouxe o vírus para o hospital e acabou infectando-a”.

Da mesma forma, o pai indicou:

“Passamos muito por esses seis meses, enfrentamos muitos inconvenientes e até nos disseram que poderíamos perder nosso filho, no entanto, conseguimos superar as dificuldades e temos certeza de que também podemos superar isso” .

Desde que as notícias de Erin foram divulgadas, a família continuou recebendo apoio em suas redes sociais. Muitos descrevem a menina como um guerreira.

Publicidade